Fuja das galinhas!

Certa vez um ovo de águia caiu em um ninho de galinha. A galinha, sem perceber o ovo maior, chocou todos os ovos juntos. Dali a algum tempo, nasceram os pintinhos e também a águia, que foi criada junto do resto da ninhada.

Quando a águia ciscava, às vezes ela via uma águia no céu e pensava: “como seria bom se eu pudesse voar como uma águia!”

Embora ela fosse uma águia, ela pensava como uma galinha.

O Jim Rohn diz que somos a média das cinco pessoas com quem mais convivemos, e essa história ilustra isso muito bem: se só andamos com galinhas, acabamos nos tornando uma delas.

Aí quando a gente começa a se dar conta de que é águia e resolver voar, a galinha telefona pra gente e fala “que nada! não perca seu tempo com isso, bora pra balada!”, ou “que isso, não faça uma loucura dessas!”, ou “mas isso é impossível!”.

Se você quer transformar a sua vida, fuja das galinhas! Não perca seu tempo lendo o mimimi delas no Facebook. Não coloque a sua atenção e foco no que elas dizem sobre o seu sonho. Não deixe mais o galinheiro influenciar a sua vida!

Seja a águia que você nasceu pra ser.

E saia voando!

**
Este artigo foi tema de uma transmissão ao vivo no meu canal do Periscope. Para assinar o canal e assistir à reprise da minha transmissão mais recente, clique aqui.

* Essa história da águia me foi relembrada pelo César Cezar, no livro Como Vencer na Vida com a Neurocibernética