Quando eu era criança, tive por muitos anos uma babá que separava as roupas “melhores” para dias de festa. E nos outros trezentos e tantos dias do ano, me vestia com as roupas menos interessantes, menos coloridas, menos bonitas.

Eu ficava revoltada, porque queria usar as saias coloridas, meia-calças e acessórios neon (sim, fui uma criança dos anos 80…rs) todos os dias do ano. Por que eu só podia me sentir bonita e bem comigo mesma raramente?

Mas, como tudo na vida, com o tempo eu parei de reclamar. E depois me acostumei. E depois, pior ainda, absorvi aquela mentalidade como minha própria. E passei a aplicar o mesmo raciocínio a várias outras coisas na minha vida adulta.

(pausa pra dizer que, se você se der conta de quanto das suas crenças foram absorvidas ou criadas quando você ainda era uma criança e não tinha a menor condição de discernir entre o que fazia sentido e o que era só bullshit, você ficará espantado)

Pois. Eu só arrumava o cabelo do jeito que eu gostava em dia de festa. Eu só me maquiava em dia de festa. Eu só dançava em dia de festa.

Eu só me permitia viver a minha vida do jeito que eu gostaria em uns poucos dias do ano.

E você, quando foi a última vez que você ouviu a sua música preferida?

Hoje, todos os dias, quando volto do meu treino, me tranco no banheiro, apago a luz, e ouço pelo menos 10 minutos (às vezes mais, muito mais…) das minhas músicas favoritas. Esse é o meu ritual pra gerar energia de alegria e entrar no clima do meu trabalho, sentar pra escrever com a vibe nas alturas, na esperança de que você, quando ler, vá sentir essa energia e essa vibe.

Essa semana, crie o seu próprio ritual da manhã pra entrar no clima, pra se alinhar com a vibe correta do universo, que é de alegria e amor, pra ser a sua própria cheerleader.

Se permita viver melhor nas pequenas coisas. 

Use a sua melhor roupa, o seu melhor penteado, o seu sapato mais incrível. 

Ouça a sua música preferida. 

Celebre a sua vida.

 

Leia também “Que tal fazer uma escolha esta semana?